Edição Anterior

Vencedores da última edição 2015 do Prêmio Arlindo Fragoso de tecnologia e Inovação continuam trabalhando no experimento

Os estudantes de engenharia elétrica da Estácio/FIB que venceram a primeira edição do Prêmio Arlindo Fragoso de Tecnologia e Inovação já estão trabalhando para que o projeto de uso de hidrogênio como combustível em fornos nas olarias seja aplicado na prática. De acordo com o estudante de engenharia elétrica André Luís Andrade, que conquistou o primeiro lugar ao lado dos colegas João Augusto Coelho e Jovane Conceição, os contatos com olarias da região de Mata de São João já estão avançados para que o experimento seja testado.

Estudantes que desejam seguir o exemplo da equipe de André e participar da segunda edição do prêmio já devem começar a pensar em projetos inovadores. A previsão é de que o Arlindo Fragoso seja lançado no dia 29 de abril pelo Crea-BA, em parceria com o Instituto Politécnico da Bahia (IPB) e empresas parceiras.

André Luís elogia a iniciativa de incentivar a inovação entre os estudantes universitários da área de tecnologia. “Vale muito a pena participar”, diz o jovem, que teve a ideia a partir da demanda de um irmão que queria montar uma olaria no município de Palmeiras, mas não havia produção de madeira certificada para abastecer os fornos. Os R$ 10 mil que receberam foram aplicados na compra de um eletrolisador de hidrogênio inox, já que o usado para a inscrição no prêmio era de tubo de PVC.

Os estudantes de engenharia esperam agora colocar em prática o experimento feito em laboratório, aproveitando o líquido que sobra da produção de tijolo no experimento, economizando assim parte da água necessária para produzir a energia.

Receptividade boa

No ano passado, o prêmio foi entregue no Dia do Engenheiro, 11 de dezembro, aos melhores trabalhos ligados às áreas de energia, saneamento básico, construção civil, segurança pública, produção agrícola e produção mineral. Na opinião do engenheiro eletricista Getúlio Lins Marques, representante do IPB e da comissão julgadora, a receptividade do prêmio foi muito boa entre as instituições de ensino. Ele espera que futuramente o prêmio contemple também uma capacitação sobre como gerir um empreendimento.

O prêmio

Como na edição passada, o Crea-BA vai divulgar o prêmio nas instituições de ensino superior e nos cursos técnicos.

O coordenador da comissão julgadora, engenheiro mecânico Eduardo Sousa, destaca que o prêmio é uma vitrine para a criatividade. “Percebemos, na primeira edição, que os estudantes da Bahia têm grande potencial inovador e empreendedor, precisamos ajudar a transformar esse potencial em oportunidades e negócios”, disse Sousa.

Eduardo Sousa destaca ainda a importância do envolvimento dos dirigentes e professores líderes em cada unidade no espírito do prêmio.

OS TRABALHOS VENCEDORES DE 2015

CLASSIFICAÇÃO
PROJETO
1º LUGAR Hidrogênio como combustível em fornos nas olarias (Estácio/FIB)
2º LUGAR Emissão zero de carbono: geração de energia elétrica por meio de um ciclo kalina e fotobiorreatores (UFBA)
3º LUGAR Refrigeração automotiva, uma nova solução(Senai/Cimatec)

 

Confira as fotos do Evento de 2015